quarta-feira, 15 de agosto de 2018

A felicidade que buscamos

Deus quer que todos os seus filhos sejam felizes mas. para ser feliz precisa alcançar a maturidade. Quem é maduro não cai facilmente nas armadilhas do diabo e sabe como vencer a mentira e a tentação, com a ajuda de Jesus. 

        Todos buscam a felicidade. Queremos ser felizes, mas nem sempre buscamos a felicidade no lugar certo.
Queremos mudar o mundo e esquecemos de começar conosco. O resultado disso é a decepção, pois o mundo não depende de nós para seguir seu curso na história.       
Essas coisas inexplicáveis e imprevisíveis causam em nós um sentimento desanimador. Ter uma vida feliz é um exercício que não é natural. Para se alcançar a excelência de nossa existência é necessária uma ação sobrenatural. Se você quer viver uma realidade de conforto, terá que ter ou ganhar muito dinheiro e isso gera um esforço que não é natural.
O que mais me surpreende na vida é ver pessoas desesperadas para ter um status social, enganando a todos para juntar dinheiro e antes que consigam, acabam por perder a saúde. Agora, debilitadas com o desgaste físico gastam tudo o que ganharam para recuperar a saúde. Desesperados para ter um futuro feliz acabam por não viverem nem o presente, nem o futuro. Vivem como se nunca fossem morrer e morrem como se nunca tivessem vivido.
 A grande realidade é que a natureza, com simplicidade sem esforço, alcança a excelência de seus objetivos. O pássaro, por exemplo, voa sem precisar calcular o percurso e as resistências de suas asas. A orquídea veste os mais belos vestidos com cores que encantam os olhos de todos.
Buscamos a realização de nossas vidas no ter sem poder e esquecemos de que a felicidade está no ser o que somos, pois, Deus nos fez perfeitos e se soubermos usar os nossos dons fazendo tudo o que podemos, o impossível pode acontecer a ponto de virar realidade.
O maior erro da humanidade é não ser feliz com o que possui. Não que seja errado buscar uma vida melhor. Errado é querer aquilo que não é para nós. Isto é coisa de gente invejosa. Nesta busca frenética da excelência, perdemos o rumo da felicidade. Se aprendermos a olhar para trás revirando a nossa memória, fazendo uma análise de tudo o que passamos, veremos que os momentos felizes aconteceram nas coisas simples e não nas grandes e desgastantes conquistas. Encontraremos no dia que brincamos na chuva... sem esperar recebemos um abraço carinhoso de um filho... momentos em que pensamos estar sozinhos e de repente aparece um amigo que você nem esperava... ter uma esposa que te ama a ponto de deixar muitas coisas que gosta só para te ver feliz... são tantas coisinhas que fazem toda a diferença no entendimento da felicidade.
Não quero sofrer pelo que não tenho e nem pelo futuro desconhecido. Quero alimentar minha felicidade nas coisas simples que são lembradas pelos meus sentidos. O agora é o maior presente que posso contemplar.
Muitos dizem que a felicidade não existe ou, ser feliz é ter muito dinheiro e poder. Passam por momentos alegres, de muita orgia, prazer, ilusão e quando se dão conta, a vida passou e não encontraram a tão sonhada felicidade. Quanto mais têm mais buscam. Desde pequeno que escuto da boca dos mais humildes: " A medida do ter não enche nunca" e assim esquecem de ser: Ser humano; ser bom; ser respeitado; ser amado; ser feliz...
A felicidade que buscamos depende dos caminhos que construímos. Caminho de duas vias, aonde os amigos vão e vem. As maiores realizações da vida estão no caminhar e não no fim da caminhada. São tantas emoções que jamais esquecemos. Quando chegamos ao fim as coisas perdem o sentido e queremos começar tudo de novo.
A nossa vida é um livro de páginas em branco que precisa ser escrita todos os dias e tanto o autor como o escritor somos nós mesmos. O sentimento são as páginas da alma que guardam a lembrança dos rascunhos de nossa existência. Que elas sejam boas ou más. O importante é ter história para contar. Ter motivos para chorar e motivos para agradecer, comemorar, imortalizar.
Viver em busca de felicidade nas riquezas e vitorias a qualquer custo e desespero, acaba em frustações, pois a semente e os frutos que você consegue são revolta, disputa, inveja. As metas podem ser alcançadas, mas dificilmente serão mantidas. Os objetivos mudam de escala. As metas alcançadas perdem o valor. Logo você perceberá que a felicidade não estava lá e irá em busca de outra meta, sempre mais difícil.
Viver em busca de felicidade é uma utopia que pode se realizar quando você sonha em ser feliz fazendo os momentos felizes. A felicidade é um estado de espírito. Para que tenha valor ela deve ser desejada em todos os momentos. Como diz Roberto Carlos “se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi”.
Nada externo poderá nos trazer felicidade. Ela está dentro de você, basta saber usá-la. Cada um ao seu modo. Brincando, trabalhando, descansando, ou seja, do modo que preferir. Felicidade não é consequência dos objetivos alcançados, mas os objetivos alcançados são consequências do seu estado de felicidade. 
Somos criados para sermos felizes. Portando não existe busca da felicidade e sim o uso. Muitos continuarão buscando, enquanto outros a estarão usando, independente da realidade do nosso trabalho, de nossos sonhos, de nossos estudos.
          Para usá-la devemos ter a capacidade de nos adaptar com o meio em que vivemos, mas não do jeito que o mundo propõe, e sim, da maneira que eu desejo. Reclamar que as circunstâncias mudam constantemente não adianta. Temos que ter a capacidade de nos adaptar às mudanças da vida. É preciso saber viver e viver intensamente todos os momentos como se fossem únicos. As pessoas confundem sucesso com felicidade e não é a mesma coisa. Sucesso é conseguir o que desejamos. Felicidade é amar aquilo que conseguimos!
          Não se podemos ter felicidade mas, podemos ser felizes.